Pesquisa no Google

 
bove=""

 

Rádio Web

Publicidade

 

Reprodução:

Ao celebrar missa em homenagem ao reitor Luiz Carlos Cancellier, alvo da Operação Ouvidos Moucos da PF e que se matou na semana passada, o padre William Barbosa Vianna fez uma denúncia espantosa: ele e outro religioso foram impedidos ao menos quatro vezes pela Polícia Federal de oferecer apoio ao reitor, que foi preso, algemado nu, submetido a exame interno vexatório e encarcerado sem processo judicial. Segundo o padre, a Polícia Federal também proibiu a Pastoral Carcerária de visitá-lo no dia da prisão, em 14 de setembro