Pesquisa no Google

 
bove=""

 

Rádio Web

Publicidade

Homem de fé

Haddad diz que virada não é impossível e mira eleitores que optaram por abstenção.

Folha de S. Paulo - Coluna Painel
Por Daniela Lima

 

Mesmo diante da larga vantagem com que Jair Bolsonaro (PSL) desponta neste segundo turno, Fernando Haddad (PT) diz que não é impossível tirar oito pontos do rival e equilibrar a disputa. Após publicação do novo Datafolha, o petista avalia que precisa ser “certeiro na propaganda eleitoral, porque o tempo é curto”, mas que há muito a ser explorado. A versão mais amena do capitão reformado está na mira. “Quem pregou violência por 20 anos vem dizer agora que não prega. É fácil?”

A dianteira de Bolsonaro reforçou a determinação do PT de montar estratégia para atrair eleitores que não compareceram às urnas no primeiro turno, quando a abstenção alcançou 20,33%.
 Num primeiro momento, os petistas vão se concentrar em trabalhar para ampliar o comparecimento em alguns estados do Nordeste e no Rio.

 A vantagem de Bolsonaro sobre Haddad entre eleitores que ganham de cinco a dez salários mínimos é acachapante: 62% a 28%.