Pesquisa no Google

 
bove=""

 

Rádio Web

Publicidade

O  candidato do PDT à Presidência, Ciro Gomes, afirmou, hoje, que, caso não vença a disputa pelo Palácio do Planalto, essa terá sido sua última eleição. Ex-prefeito de Fortaleza, ex-governador do Ceará e ex-deputado, Ciro Gomes está em sua terceira tentativa de chegar à Presidência.

Ele já havia concorrido ao Planalto nas eleições de 1998 e 2002, mas acabou derrotado pelos ex-presidentes Fernando Henrique Cardoso e Luiz Inácio Lula da Silva, respectivamente.

"Vou disputar a minha última eleição. Por isso, vou ter que lutar como um obstinado até as 17h do dia 7 de outubro", declarou Ciro em entrevista à Rádio Guaíba, do Rio Grande do Sul.

O pedetista também disse que, na visão dele, "não é mais possível" apoiar o PT, referindo-se a uma eventual aliança com o presidenciável petista, Fernando Haddad, em um segundo turno.

Ontem, Haddad afirmou em entrevista coletiva no Rio Grande do Sul que tem "certeza" de que PT e PDT apoiarão um ao outro em um eventual segundo turno em um eventual segundo turno.

Pesquisa Ibope divulgada nesta quarta-feira apontou Bolsonaro com 27% das intenções de voto, Haddad com 21% e Ciro com 12%.

"Eles [PT] acusam que existiu um golpe em 2016 e estão juntos com Eunício Oliveira, no Ceará, e Renan Calheiros, em Alagoas. Não é mais possível andar com eles [petistas]", afirmou o presidenciável do PDT, ao ser questionado sobre se cogitava apoiar Haddad caso o petista consiga chegar ao segundo turno.