Pesquisa no Google

 
bove=""

 

Rádio Web

Publicidade

 

Antônio Leandro Barbosa nasceu no dia 20 de fevereiro de 1927, em Carnaíba, Pernambuco, filho de Joaquim Leandro da Silva e Maria Barbosa de Oliveira. Cursou o ensino primário em Carnaíba e, muitos anos depois, já casado, cursou o Ensino Fundamental numa classe de adultos, na Escola João Gomes dos Reis.

Aos 10 anos de idade, iniciou seus estudos musicais com o professor e maestro José Queiroz de Lima, a quem sempre se referia como uma forma de marcar a memória de quem não é muito conhecido ou lembrado em sua terra.

Aos doze anos, já fazia parte da Banda Filarmônica Santo Antônio tocando trompa, mas, além dessa atividade, ajudava seu pai na agricultura.

Aprendeu alfaiataria com o senhor Joaquim Golinha ainda na adolescência, trabalhando por muito tempo nesse ofício até que na cidade já se vendessem roupas prontas. Ainda muito jovem , trabalhou como ambulante com alguns comerciantes de Carnaíba, indo às feiras  de Quixaba, Ibitiranga e outros lugares. 

Aos 23 anos, foi para o Recife e estudou como interno no Colégio Salesiano e lá, fez parte da banda até 1953, tocando trombone. Não prosseguiu os estudos por dificuldades de documentação.

Quando voltou para Carnaíba, começou a tocar bombardino , sob a regência do Maestro que tanto admirava, Israel Gomes, mas ainda acumulando, por questões de sobrevivência, as atividades de agricultor, alfaiate e vendedor, esta  última com Otacílio Gomes.

Aos 26 anos foi para o Rio de Janeiro , onde tentou exame da Polícia Militar. Apesar  de ser aprovado, não concluiu as demais etapas; sem emprego e sem condições  financeiras, voltou para Carnaíba.

Casou-se com Maria José Mendes, com quem teve os filhos Maria Goreth (falecida), Luíza de Marillac, Betha Mendes, Vicente Barbosa e Pollyana Mendes.

Sempre  que o Maestro Israel Gomes se ausentava, era ele que assumia a direção da Banda Filarmônica Santo Antônio, ensinando a crianças e a jovens a arte que ele tanto amava, até assumir definitivamente  a regência da banda, quando da morte do maestro Israel Gomes, em 1974.

Exerceu suas atividades de músico e maestro sem visar a lucros financeiros, como exemplo disso cedeu um salão da própria casa para ministrar suas aulas, deu aulas numa garagem do Senhor Mílton Pierre, além de , muitas vezes se deslocar para a zona rural para dar aulas gratuitas aos que não tinham condições de ir para a cidade. Inúmeras vezes, recebia seus alunos em outros horários para tirar dúvidas e “dar a lição”. Pode-se dizer que trabalhou voluntariamente durante quase toda a sua vida, pois os recursos financeiros eram muito poucos pra quem exercia  com tanta dedicação e didática peculiar a  arte musical.

Não era muito de compor, mas fez duas músicas, das quais não fez publicações: “Goreth”, dedicada à sua filha primogênita, e  “Letícia”, dedicada à sua neta.

Em 2006, convidado pelo Prefeito Anchieta Patriota, passou a fazer parte do quadro de professores da Escola de Música Maestro Israel Gomes. Após anos de esforço e dedicação, sua contribuição para a arte musical do  município foi reconhecida, e foi eleito patrono da instituição onde permaneceu até falecer, em 31 de dezembro de 2014, aos 87 anos.

No Conservatório Carnaibano de  Música tem uma sala com seu nome. Entretanto, suas  maiores homenagens vêm do reconhecimento da sociedade e de seus alunos. Sempre será lembrado através de cada música tocada pela Banda Filarmônica Santo Antônio, nas  procissões que celebram as festas dos padroeiros Santo Antônio e São João Vianney, nos frevos que alegraram tantos dos nossos carnavais e o “Bloco das Crianças”, fundado por ele.

Deixou um grande legado para a sua cidade: uma didática eficiente, simplicidade, doçura, doação, paciência e humildade em toda a sua trajetória, fazendo valer o que ele dizia: “A música não deve morrer em Carnaíba, por se tratar de uma arte divina.”

fotos e biografia cedida por Beta Mendes filha do Maestro Toinho Barbosa