Pesquisa no Google

 
bove=""

 

Rádio Web

Publicidade

 

 Rafael Ribeiro:

Em seu último discurso antes de ser preso num processo de exceção, o ex-presidente Lula fez um pronunciamento histórico; "Eu sou um construtor de sonhos. Sonhei que era possível um metalúrgico, sem diploma, cuidar mais da educação do que os diplomados e concursados cuidaram da educação. Sonhei que era possível pegar os estudantes da periferia e colocá-los nas melhores universidades do País. Daqui a pouco vamos ter juízes e procuradores nascidos na favela, nascidos na periferia. Se esse crime que eu cometi, eu vou continuar sendo criminoso", afirmou Lula; "A morte de um combatente não para uma revolução e vocês serão milhões e milhões de Lulas. Quanto mais dias me deixarem lá, mais Lulas andarão por este País. Os poderosos podem matar uma, duas ou três rosas, mas jamais poderão deter a chegada da primavera", disse Lula; "Em muito pouco tempo, ficará claro que os criminosos são o delegado que me investigou, o procurador que me acusou e o juiz que me condenou. Vou para lá de cabeça erguida e vou sair de peito estufado"; Lula saiu carregado nos braços do povo